Número total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de julho de 2010

ECOLOGIA NO BRASIL


Com dimensões continentais e 70% da população concentrados em áreas urbanas, o Brasil é o país em desenvolvimento que mais tem atraído a atenção internacional. A poluição e o desmatamento ameaçam seus diversificados ecossistemas, inclusive o de maior biodiversidade do planeta, o amazônico.
O agravamento dos problemas ambientais no país está ligado à industrialização, iniciada na década de 50, ao modelo agrícola monocultor e exportador instituído desde os anos 70, à urbanização acelerada e à desigualdade socioeconômica. Nas grandes cidades, dejetos humanos e resíduos industriais saturam a deficiente rede de saneamento básico e envenenam águas e solos.

Gases liberados por veículos e fábricas, além das queimadas no interior, poluem a atmosfera.
Poluição do ar
As emissões de dióxido de enxofre, monóxido de carbono, óxido e dióxido de nitrogênio e de material particulado, como poeira, fumaça e fuligem, crescem em todas as aglomerações urbanas e industriais do país. A situação é mais grave em grandes centros, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Dados da Cetesb (Companhia Estadual de Tecnologia e Saneamento Básico), de 1991, mostram que as indústrias da Grande São Paulo lançam por ano no ar cerca de 305 mil toneladas de material particulado e 56 mil toneladas de dióxido de enxofre. Automóveis e veículos pesados são responsáveis pela emissão de 2.065 toneladas anuais de monóxido de carbono . No complexo industrial da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, a concentração de partículas em suspensão atinge a média anual de 160 mcg/m³, o dobro do considerado seguro. Na região metropolitana de Belo Horizonte, a concentração média de partículas poluentes no ar também é alta: 94 mcg/m³, e os níveis de dióxido de enxofre são maiores que os de São Paulo. A maior responsável por esses índices é Contagem, cidade mineira que concentra as indústrias metalúrgicas, têxteis e de transformação de minerais não-metálicos.

Em 1986, o governo federal cria o Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores, que obriga a instalação de filtros catalisadores no escapamento dos automóveis e caminhões novos. O programa entrou em funcionamento em 1988 e devia estar concluído em 1997.

Águas contaminadas
Praticamente todas as grandes e médias cidades brasileiras têm suas águas contaminadas por esgotos, lixo urbano, metais pesados e outras substâncias tóxicas. Os deltas do Amazonas e do Capibaribe , as baías de Todos os Santos, de Guanabara e de Paranaguá, os rios da bacia Amazônica, os rios Paraíba do Sul, das Velhas, Tietê, Paranapanema, do Peixe, Itajaí, Jacuí, Gravataí, Sinos e Guaíba são repositórios desses resíduos. Na Amazônia, o maior dano é provocado pelo mercúrio, jogado nos rios à média de 2,5 kg para cada grama de ouro extraído dos garimpos. Os rios Tapajós , Xingu, Taquari, Miranda e Madeira são os mais afetados.
Em São Paulo , em alguns trechos do rio Tietê dentro da capital existem apenas bactérias anaeróbicas. O excesso de cargas orgânicas em suas águas consome todo o oxigênio, mata os peixes e qualquer outra forma de vida aeróbica. O lixo e o desmatamento nas margens provocam o assoreamento de seu leito. Em 1993, o governo do Estado inicia um programa de despoluição e desassoreamento do rio: barcaças retiram areia e lixo do seu leito. A areia e a terra são levadas a uma distância de 5 km e o lixo para aterros sanitários.
Poluição do mar
Dejetos industriais e orgânicos são jogados em vários pontos do litoral. Vazamentos de petróleo em poços das plataformas submarinas e acidentes em terminais portuários e navios-tanques têm provocado graves desastres ecológicos. O terminal de São Sebastião (SP) registra 105 vazamentos em 1990 e 1991. O litoral do Pará e as praias da ilha de Marajó estão contaminados por pentaclorofeno de sódio, substância tóxica usada no tratamento de madeira. Os pólos petroquímicos e cloroquímicos localizados em quase todos os estuários dos grandes rios lançam metais pesados e resíduos de petróleo nos manguezais e na plataforma continental . A baía de Todos os Santos, na Bahia, está contaminada por mercúrio. A baia de Guanabara, no Rio de Janeiro, recebe diariamente cerca de 500 toneladas de esgotos orgânicos, 50 toneladas de nitratos e metais pesados, além de 3 mil toneladas de resíduos sólidos – areia, plásticos, latas e outras sucatas. Em maio de 1994, o governo do Estado do Rio de Janeiro consegue financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) de US$ 793 milhões para a despoluição da baía de Guanabara.
Degradação da superfície
O principal fator de poluição do solo, subsolo e águas doces é a utilização abusiva de pesticidas e fertilizantes nas lavouras. A média anual brasileira é duas vezes superior à do mundo inteiro. Ainda são usados no Brasil produtos organoclorados e organofosforados, proibidos ou de uso restrito em mais de 50 países devido a sua toxicidade e longa permanência no ambiente. As regiões mais atingidas por esses agrotóxicos são a Centro-Oeste, a Sudeste e a Sul, responsáveis por quase toda a produção agrícola para consumo interno e exportação. O agente laranja, um desfolhante usado pelos americanos na Guerra do Vietnã para devastar a mata tropical, já foi aplicado por empresas transnacionais na Amazônia, para transformar a floresta em terrenos agropastoris. A cultura da soja, hoje espalhada por quase todas as regiões do país, também faz uso acentuado desses fosforados. A médio e longo prazo esses produtos destroem microrganismos, fungos, insetos e contaminam animais maiores. Eles também tornam as pragas cada vez mais resistentes, exigindo doses cada vez maiores de pesticidas. No homem, causam lesões hepáticas e renais e problemas no sistema nervoso. Podem provocar envelhecimento precoce em adultos e diminuição da capacidade intelectual em crianças.
Queimadas
Desde o início da ocupação portuguesa o fogo foi o principal instrumento para derrubar a vegetação original e abrir áreas para lavoura, pecuária, mineração e expansão urbana. Ao longo dos quase cinco séculos de história do país, desaparece quase toda a cobertura original da mata Atlântica nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul. No Centro-Oeste, de ocupação mais recente, o cerrado vem sendo queimado para abrir espaço à soja e à pecuária. Nos anos 80, as queimadas na floresta Amazônica são consideradas uma das piores catástrofes ecológicas do mundo.
Em algumas regiões, é a seca que provoca os incêndios que devastam os ecossistemas: 80% do Parque Nacional das Emas , na divisa de Goiás com Mato Grosso do Sul, são destruídos pelo fogo em 1988 e, em 1991, outro incêndio destrói 17 mil ha do parque.
Desertos
Desmatamento indiscriminado, queimadas, mineração, uso excessivo dos defensivos agrícolas, poluição, manejo inadequado do solo e seca trazem a desertificação de algumas áreas do país. A região Nordeste é a mais atingida: 97% de sua cobertura vegetal nativa já não existem. A área desertificada chega a 50 mil ha e afeta a vida de 400 mil pessoas. A mineração e as salinas também afetam o sul do Pará e a região de Mossoró (RN). No Rio Grande do Sul, a superexploração agrícola e a pecuária extensiva fazem crescer o já chamado "deserto dos pampas": uma área de 200 ha no município de Alegrete.
Radiatividade
A ausência de comunicação imediata de problemas em usinas nucleares preocupa militantes ecológicos e cientistas no mundo inteiro. Isso também acontece no Brasil. Em março de 1993, o grupo Greenpeace denuncia: a paralisação da Usina Nuclear de Angra I, em Angra dos Reis (RJ), provoca um aumento anormal de radiatividade no interior de seu reator. Pressionada, a direção da usina confirma a informação, mas garante que o problema não é preocupante. No caso de Angra, o incidente serviu de alerta para o fato de ainda não se ter estabelecido um plano eficiente para a população abandonar a cidade em caso de acidente grave.
Espécies ameaçadas
Brasil, Colômbia, México e Indonésia são os países de maior diversidade biológica no mundo. A Amazônia, a mata Atlântica e o Pantanal estão entre as maiores reservas biológicas do planeta, a maioria delas ameaçadas pelo processo de degradação ambiental.
Espécies vegetais ameaçadas
A substituição dos ecossistemas originais por pastagens, o extrativismo desordenado e a poluição têm reduzido e até levado à extinção inúmeras espécies vegetais nativas. É o caso da araucária , ou pinheiro-do-paraná, do pau-brasil e de vários membros da família das bromeliáceas. As projeções sobre o número de espécies florais existentes na Amazônia variam entre 50 mil e 100 mil. Dessas, pelo menos mil têm potencial para a exploração econômica e possível aplicação farmacêutica.
Animais em extinção
A lista oficial mais recente de animais em extinção no Brasil é de 1990. A maioria das espécies ameaçadas concentra-se na Amazônia, na mata Atlântica e no Pantanal e têm sido vítimas da destruição de seus habitats e da caça indiscriminada. São 57 mamíferos, entre eles o mico-leão-dourado, a jaguatirica, a lontra, a onça-pintada, o tamanduá-bandeira. As aves somam 108 e a lista inclui o macuco, o flamingo, o gavião-real e a choquinha. Entre os nove répteis, estão a surucucu, algumas espécies de tartaruga e o jacaré-de-papo-amarelo. Dos 32 tipos de invertebrados, a maioria é de borboletas e libélulas. A lista aponta ainda outras 117 espécies pouco conhecidas, também ameaçadas.
Situação dos ecossistemas
A variedade do clima, do relevo, do regime de chuvas e de rios do país resulta em variados ecossistemas . A Amazônia concentra a maior floresta tropical e a maior diversidade biológica do mundo, seguida de perto pela mata Atlântica e pelo Pantanal. Os manguezais localizados em alguns estuários, como o do Amazonas ou o do rio Ribeira (SP), também estão entre os maiores criatórios naturais de vida marinha do planeta.
AMAZÔNIA
A Amazônia tem uma área calculada em 5,5 milhões de km², e a floresta ocupa 60% do total, o equivalente a 3,3 milhões de km². O subsolo da Amazônia é rico em minérios, como ouro, bauxita, cassiterita e manganês. Sua superfície abriga cerca de 2 milhões de espécies . Apenas 10% de suas terras são consideradas produtivas, 12% das quais já estão ocupadas pelo homem. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1991, a área devastada chega a 11.100 km², ou 0,3% da floresta. No Amapá e em Rondônia, a metade da área cultivável já foi devastada. Os focos de incêndio passam de 362.161 km² em 1990 para 404.343 em 1991 e provocam uma nuvem de fumaça que chega a alcançar a África e a Antártida.
Rios assoreados
Grande parte dos 3,9 milhões de km² da bacia hidrográfica amazônica – a maior do mundo – sofre assoreamento devido à erosão provocada por utilização inadequada do solo. Muitos rios têm suas águas contaminadas pelo mercúrio dos garimpos de ouro, que já estão invadindo a Venezuela. A busca de ouro também tem contribuído para dizimar a população indígena, principalmente ianomâmis.
MATA ATLÂNTICA
No século XVI, a mata Atlântica é a segunda maior floresta tropical úmida do Brasil. Cobre uma área paralela ao litoral, quase contínua, de cerca de 1,5 milhão de km², estendendo-se do Ceará ao Rio Grande do Sul – justamente a área hoje mais densamente povoada do país. Em São Paulo , a área original, igual a 82% do território, passa para os atuais 5%. Mesmo assim, ainda é uma das maiores do planeta em diversidade biológica. A devastação começa com o início da colonização, com a exploração do pau-brasil. Prossegue com o ciclo do açúcar, no século XVII, que praticamente acaba com a mata no Nordeste. No século XVIII, a mineração do ouro amplia a área devastada até Minas Gerais. Na segunda metade do século XIX, a cultura do café derruba a floresta nas regiões Sudeste e Sul. No século XX, o desmatamento chega à fronteira do Mato Grosso. Na atualidade, a maior parte da vegetação remanescente concentra-se nos Estados da região Sul.
Indústrias x floresta
A industrialização da região Sudeste aumenta a devastação da floresta. Na década de 40, quando a Companhia Siderúrgica Nacional entra em operação, em Volta Redonda (RJ) , alimenta seus altos-fornos com a madeira extraída da floresta. O lançamento de poluentes na atmosfera e nos cursos d'água por indústrias de todo o Sudeste contribui para a destruição. A poluição atmosférica vem aumentando as chuvas ácidas e destruindo porções significativas da cobertura vegetal da região. No Espírito Santo e Bahia, além da poluição, a floresta é consumida pela indústria de papel e celulose e derrubada pela crescente especulação imobiliária.
PANTANAL
Ocupa 140 mil km² no sudoeste do Mato Grosso e oeste do Mato Grosso do Sul, estendendo-se até o Paraguai. No verão – época das chuvas –, suas terras são inundadas pelas cheias do rio Paraguai, criando um ecossistema específico que abriga milhares de espécies de aves, peixes, répteis e mamíferos. As usinas de álcool, o mercúrio dos garimpos, o excesso de fertilizantes das lavouras, as queimadas e até mesmo o turismo vêm poluindo as águas do Pantanal. A construção de estradas no seu interior e de usinas hidrelétricas em regiões periféricas tem alterado o regime de ventos e de chuvas da região. A caça e a pesca predatórias aceleram o desequilíbrio do ecossistema. Caçadores clandestinos já mataram cerca de 2 milhões de jacarés. A onça-pintada, veados, cotias, ariranhas e lontras estão em rápido processo de extinção. A criação do Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense e da Estação Ecológica do Taimã são algumas das medidas, ainda insuficientes, para preservar a região.
MANGUEZAIS
Ambientes de transição entre os meios terrestre e marinho característicos dos litorais tropicais, os manguezais distribuem-se ao longo de todo o litoral brasileiro. Os de maior biodiversidade localizam-se nos estuários de grandes rios, principalmente naqueles que têm seus cursos em terrenos planos e foz muito amplas. Têm características pantanosas, vegetação arbustiva abundante e águas ricas em matéria orgânica. São considerados os maiores criatórios naturais de espécies marinhas. Os grandes manguezais brasileiros estão sendo destruídos pela poluição dos pólos petroquímicos ou cloroquímicos presentes em quase todos os grandes estuários da costa. Muitos são soterrados para a construção de estradas, como a Rio-Santos, ou para projetos imobiliários, como no litoral paulista e fluminense, no sul da Bahia ou em Florianópolis. Poucos ainda estão preservados, como a parcela do manguezal do rio Ribeira, protegida pelo Parque Estadual da Ilha do Cardoso, no sul de São Paulo.
Legislação atual
O capítulo sobre meio ambiente da Constituição de 1988 é considerado um dos mais avançados do mundo. Inclui o meio ambiente ecologicamente equilibrado entre os direitos do cidadão e da sociedade e considera sua defesa e preservação como dever do Estado e da coletividade. Determina que o poder público deve preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais, dar condições para o manejo ecológico das espécies e ecossistemas, preservar a diversidade biológica e a integridade do patrimônio genético. O governo deve exigir relatório de impacto ambiental para a instalação de qualquer obra ou atividade potencialmente causadora de degradação ambiental e tem o dever de controlar a produção, comercialização e emprego de métodos e substâncias potencialmente nocivas à preservação do equilíbrio do meio ambiente.
Áreas de preservação
A Constituição reconhece a floresta Amazônica, a mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira como patrimônio nacional; exige que a instalação de usinas nucleares seja definida por lei e prevê a punição para quem degradar o meio ambiente. Define também o Sistema Nacional de Unidades de Preservação: áreas consideradas de valor relevante por seus recursos naturais ou paisagens , mantidas sob regime especial de administração, com garantias de proteção e preservação da diversidade biológica. Atualmente, as áreas sob proteção somam 31.294.911 ha , o equivalente a 3,7% da superfície do país.
Fonte: www.conhecimentosgerais.com.br

Como e quando nasceu a palavra ECOLOGIA


Em 1886, o biólogo e evolucionista alemão Ernst Heinrich Haeckel (1834/1919) usou a palavra ECOLOGIA para denominar o estudo dos organismos e de suas interações com o meio ambiente.

Ele se baseou no termo grego OIKOS (casa), que também está na raiz da palavra economia.

Haeckel descreveu o mundo vivo como uma grande comunidade na qual cada espécie tem um papel a desempenhar na economia global.

Em seu sentido moderno, a palavra ECOLOGIA foi usada pela primeira vez em 1893.

Assim, o biólogo Haeckel foi considerado o inventor do termo
Fonte: Portal S. Francisco

segunda-feira, 21 de junho de 2010

RESÍDUOS E LIXO TÓXICO

Resíduos orgânicos
O chamado lixo orgânico tem origem animal ou vegetal. Nessa categoria inclui-se grande parte do lixo doméstico, restos de alimentos, folhas, sementes, restos de carne e ossos, gorduras, etc. Quando acumulado ou disposto inadequadamente, o lixo orgânico pode tornar-se altamente poluente do solo, das águas e do ar. Ademais, a disposição inadequada desses resíduos cria um ambiente propício ao desenvolvimento de organismos patogênicos. O lixo orgânico pode entretanto ser objeto de compostagem para a fabricação de adubos ou utilizado para a produção de combustíveis como biogás, que é rico em metano.

Outros resíduos
Resíduos de plásticos, metais e ligas, vidro, material de construção etc. quando lançados diretamente no ambiente, sem tratamento prévio, demoram muito tempo para se decompor. O plástico por exemplo, é constituído por uma complexa estrutura de moléculas fortemente ligadas entre si, o que torna difícil a sua degradação e posterior biodigestão por agentes decompositores (primariamente bactérias). Para solucionar este problema, diversos produtos industrializados são biodegradáveis

Lixo tóxico
Lixo nuclear e hospitalar entram nesta categoria. Esses resíduos precisam receber tratamento especial, antes da disposição final, de modo a evitar danos ambientais e à saúde das pessoas. O lixo nuclear deve ser isolado, enquanto lixo hospitalar deve ser incinerado.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

VOLUME DE ÁGUA DO RIO SÃO FRANCISCO CAIU 35% EM 50 ANOS


Volume de água do rio São Francisco caiu 35% em 50 anos, diz estudo:

Uma pesquisa feita por cientistas norte-americanos aponta que o fluxo de água na bacia do rio São Francisco, que nasce em Minas Gerais e deságua no nordeste do Brasil, caiu 35% no último meio século. O estudo, foi publicado no Journal of Climate, da Sociedade Meteorológica Americana, foi feito por pesquisadores do National Center for Atmospheric Research (NCAR), que fica no Estado americano do Colorado.

Eles analisaram dados coletados entre os anos de 1948 e 2004 nos 925 maiores rios do planeta, e concluíram que vários rios de algumas das regiões mais populosas estão perdendo água.

De acordo com os pesquisadores, a bacia do São Francisco foi a que apresentou o maior declínio no fluxo de águas entre os principais rios que correm em território brasileiro durante o período pesquisado.

Neste mesmo período, o fluxo de águas na bacia do Amazonas caiu 3,1%, enquanto as bacias de outros rios brasileiros apresentaram uma elevação na vazão. O fluxo de águas no rio Paraná (que termina na Argentina), por exemplo, apresentou um aumento de 60% no período pesquisado, enquanto a bacia do Tocantins registrou um acréscimo de 1,2% em sua vazão.

Segundo o cientista Aiguo Dai, o líder da pesquisa, esta variação está relacionada principalmente com as mudanças na quantidade de chuvas nas regiões das bacias.

Estas alterações nos níveis de precipitações, de acordo com o pesquisador, estariam relacionadas, principalmente, ao fenômeno meteorológico El Niño, que consiste em um aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico e que afeta o clima da região e do planeta. Dai afirma que, entre 1948 e 2004, a região da bacia do rio São Francisco apresentou uma leve queda nos níveis de precipitações e um grande aumento de temperatura.

Estes dois fatores contribuíram para o grande declínio do escoamento do rio. Segundo ele, o aumento das temperaturas eleva a evaporação, e assim, reduz o fluxo de água do rio.
"Eu avalio que algumas destas mudanças na temperatura e nas precipitações estão relacionadas às mudanças nas atividades do El Niño, mas não todas elas", afirma o cientista.

De um modo geral, o estudo aponta que alguns dos rios mais importantes do planeta e que abastecem áreas populosas estão perdendo água. Um terço dos 925 rios pesquisados apresentaram mudanças significativas nos fluxos de água no período, sendo que aqueles que perderam vazão ultrapassam os que ganharam em uma proporção de 2,5 para 1.

Entre os rios que apresentaram declínios na vazão estão alguns que servem a grandes populações, como o Amarelo, na China, o Niger, na África, e o Colorado, nos Estados Unidos. Em contraste, os pesquisadores constataram um aumento considerável na vazão de rios em áreas pouco habitadas no Oceano Ártico.

Entre os que permaneceram estáveis ou que registraram um pequeno aumento no fluxo de água estão o Yang Tsé, na China e Bhrahmaputra, na Índia. Segundo os pesquisadores, muitos fatores podem afetar a vazão desses rios, incluindo barragens e o desvio de água para a irrigação. Mas, de acordo com os dados da pesquisa, em muitos casos, a redução no fluxo de água pode estar relacionada às mudanças climáticas globais, que alteram os padrões de chuvas e os níveis de evaporação.

"A redução na vazão aumenta a pressão sobre as reservas de água doce em grande parte do mundo, especialmente em um momento em que a demanda por água aumenta por causa do crescimento da população. A água doce é um recurso vital, e a tendência de queda é motivo de preocupação", diz Aiguo Dai.

Pesquisas anteriores feitas em grandes rios, no entanto, apontavam que a vazão global dos cursos de água estaria aumentando
Fonte: BBC Brasil

sexta-feira, 21 de maio de 2010

É NECESSÁRIO DESPERTAR

É um dever colectivo a alteração de comportamentos que levam á continuada degradação do ambiente e dos caudais de água, através das mais variadas formas de poluição.

HÁ QUE DESPERTAR ANTES:
Que seja cortada a última árvore;
Que seja pescado o último peixe;

Que seja poluído o último rio;
Que seja morto o último animal da cadeia alimentar;
Que seja comido o último pão!...

SERÁ QUE SÓ VAMOS ACORDAR:
Quando percebermos que não podemos comer dinheiro.

DESPERTE RÁPIDAMENTE...PARA QUE ESTA DURA REALIDADE, NÃO ACONTEÇA...CORRIJA OS SEUS HÁBITOS E DOS SEUS FILHOS...PRESERVE O MEIO AMBIENTE NATURAL QUE O RODEIA!...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

PRODUTOS INERTES

Resíduos sólidos constituem aquilo que genericamente se chama lixo: materiais sólidos considerados inúteis, supérfluos ou perigosos, gerados pela atividade humana, e que devem ser descartados ou eliminados.

O conceito de "lixo" pode ser considerado como uma invenção humana, pois em processos naturais não há lixo - apenas produtos inertes.

Embora o termo lixo se aplique aos resíduos sólidos em geral, muito do que se considera lixo pode ser reutilizado ou reciclado, desde que os materiais sejam adequadamente tratados.

Além de gerar emprego e renda, a reciclagem proporciona uma redução da demanda de matérias-primas e energia, contribuindo também para o aumento da vida útil dos aterros sanitários.

Certos resíduos, no entanto, não podem ser reciclados, a exemplo do lixo hospitalar ou nuclear

quarta-feira, 5 de maio de 2010

CONSELHOS PARA UTILIZAÇÃO CORRETA DA ÁGUA - MEIO ENVOLVENTE


Utilize, se possível, água reciclada na rega das plantas e dos relvados, proveniente de fontes de beber, banhos, água condensada do ar condicionado, jacuzzis, lavandarias e outras águas usadas e recicladas.

Plante espécies autóctones dado que estão mais adaptadas ao meio ambiente local, necessitam de menos água, pesticidas e outros cuidados.

Utilize sistemas de irrigação lenta os quais permitam o gotejar da água.

Regue os terrenos somente no início da manhã ou no final da tarde, para prevenir o excesso de evaporação.

Aplique sensores de humidade nas zonas mais estratégicas do terreno, estes alertam para a necessidade de água, somente quando o solo carece de humidade.

Coloque dispositivos automáticos que permitam desligar-se em períodos de chuva.

Aplique às mangueiras agulhetas de disparo de água.

Utilize controladores electrónicos com um timing individual preciso, com zonas de multi-irrigação e multi-ciclos.

A ÁGUA É UM BEM ESSENCIAL, QUE TODOS TEMOS DE PRESERVAR.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

BIOSSÓLIDO

Lodo originado em estação de tratamento de esgoto sanitário, que passou por tratamento biológico para redução de organismos patogênicos, que pode ser utilizado diretamente em solos agrícolas (como fertilizante ou condicionador de solos), como matéria prima da compostagem, ou como adjuvante em sistemas benéficos para o homem (fabricação de tijolos e fonte de energia por exemplo).

Biossólido na Agricultura
No Brasil, a aplicação de biossólidos em áreas agrícolas depende da anuência prévia do órgão governamental responsável pela fiscalização ambiental local.

No Estado de São Paulo, por exemplo, as normas para utilização e o licenciamento são responsabilidade da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB).

Para utilização de biossólidos como matéria prima de fertilizantes, condicionadores de solos ou substrato para produção de mudas, além do licenciamento ambiental, também é necessário o registro do fabricante no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).
Fonte: Wikipédia

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O ESGOTO NO BRASIL

O lançamento indiscriminado de águas residuais domésticas no Brasil costuma ser um dos maiores problemas ambientais e de saúde pública.

No Brasil, são produzidos 32 milhões de metros cúbicos de águas residuais por dia.

Deste total, apenas 14 milhões são coletados e somente 4,8 milhões de metros cúbicos de esgoto são tratados, volume que corresponde a apenas 15% do total produzido; o serviço é estendido a apenas 44% das famílias brasileiras.

O restante é descartado de forma indiscriminada nos rios. Ainda assim, o investimento do Governo é de apenas 0.04% do PIB.

A coleta de águas residuais, no século XVIII e XIX principalmente nas casas mais ricas, dependia do trabalho de escravos, os chamados "tigres".

Todas as noites eles carregavam vasos cheios de detritos e iam despejá-los no mar, onde também lavavam os latões, os urinóis e as escarradeiras.

Esse tipo de coleta de águas residuais acontecia antes da família real chegar ao Brasil em 1808. Depois da chegada da família real o Brasil passou por muitas transformações significativas.

COMPOSIÇÃO DO ESGOTO

As águas residuais contêm basicamente matéria orgânica e mineral em solução e em suspensão, assim como alta quantidade de bactérias e outros organismos patogênicos e não patogênicos.

As gorduras e resíduos sólidos da lavagem da louça nas cozinhas industriais e domésticas, contribuem para a poluição do esgoto.

Outros produtos podem ser indevidamente jogados descarga abaixo e lançados na rede de águas residuais, como estopas, chupetas e outros materiais relacionados a crianças, objetos de higiene feminina, tais como absorventes, ou ainda produtos tóxicos de origem industrial, preservativos usados, etc.

As águas residuais em decomposição anaeróbica produz gases que, em espaços fechados, como tubulações ou estações, podem estar concentrados a níveis perigosos, exigindo o uso de material especial e equipes de resgate.

O gás sulfídrico é o principal responsável pelo cheiro característico do esgoto em decomposição anaeróbica.

O método de cloração de águas residuais, já tratado previamente numa Estação de Tratamento (ETE), pode contribuir na redução de patogênicos no lançamento dos efluentes.

Revelou-se ser o processo de menor custo e de elevado grau de eficiência em relação a outros processos como a ozonização que é bastante dispendiosa e a radiação ultra violeta que não é aplicável a qualquer situação.

O gás mais perigoso presente é o metano por ser explosivo, já tendo causado a morte de alguns operários de companhias de saneamento.

domingo, 18 de abril de 2010

ÁGUA DA CHUVA É POTÁVEL E FAZ BEM AO HOMEM

Um estudo realizado na Austrália sugere que a água da chuva recolhida em recipientes é potável e não agride a saúde dos seres humanos, segundo informações divulgadas pela agência EFE.

Um comunicado da Universidade de Monash, em Melbourne, pesquisou 300 casas na cidade de Adelaida cujos proprietários utilizam a chuva como principal fonte de consumo de água.

Os autores do estudo distribuíram filtros para evitar a entrada de qualquer tipo de parasita capaz de causar gastroenterite, mas metade destes dispositivos demonstraram ser inúteis neste sentido.

Durante 12 meses, os casos de gastroenterite registrados entre os habitantes dos 300 domicílios analisados foram semelhantes aos do resto da comunidade, que consumiu água tratada.

A investigação identificou ainda diferença entre os habitantes das casas que contavam com um filtro funcional e o resto.

domingo, 11 de abril de 2010

A ÁGUA NO BRASIL

Temos no Brasil alguns dos maiores recordes encontrados no Planeta Água:
Maior rio do Mundo (Rio Amazonas com 7.025 Km de extensão)
Quedas de água com os maiores fluxos de água do Planeta (Guaíra com 13.301.000 m3 por segundo de água - hoje encoberta sob o lago de Itaipu.
Queda de Paulo Afonso no Rio São Francisco com 2.830.000 m3 por segundo.
Urubupungá no Rio Paraná com 2.745.000 m3 por segundo.

Temos ainda um dos maiores lagos do planeta, a Lagoa dos Patos com 10.144 Km2 de área e com uma profundidade de 6,75 m.

Porém temos sérios problemas de gerenciamento deste recursos com índices de saneamento básico encontrados apenas em países do continente Africano: O IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística realizou uma pesquisa entre 1989 e 1990 em 4.425 cidades e alerta: o precário saneamento básico é responsável por 80 % das doenças que afetam a população e 65 % das internações hospitalares de crianças.

1,15 % dos Municípios tratavam o esgoto em 1990, hoje este índice chega em 10 %. - 30 milhões de habitantes dos 150 milhões do Brasil não recebem água tratada.

92 % do esgoto produzido no país é lançado nos rios e no mar sem qualquer tratamento.

Os rios são responsáveis por 51 % do consumo de água no país.

No Brasil todos os dias são lançados 10 Bilhões de litros de esgoto nos rios e no mar.

No Estado de SP o consumo é de 354 mil litros por segundo, o mesmo consumo de 1 família de 4 pessoas durante um ano e meio. 55,68 % é gasto em irrigação de lavouras, 21,60 % nas Indústrias e 22,72 % no consumo doméstico urbano.

A maior região metropolitana do país, a de São Paulo abrange 38 municípios com 17 milhões de habitantes, produzindo 12 mil toneladas de lixo por dia sendo que 95 % é enterrado em aterros sanitários contaminando córregos e os lençois freáticos de água.

A cidade de São Paulo com 9,5 milhões de habitantes consome 210 milhões de litros de água por hora, o equivalente a 116 piscinas olímpicas. 60 % dessa água é captado a mais de 80 Km de distância da capital.

No final todo o esgoto (1.100 toneladas por dia) acabam no Rio Tietê. O atual projeto para despoluir o Rio Tietê está custando 900.000.000 de dólares, sendo a maior Estação de Tratamento de Esgoto de São Paulo, a de Barueri ocupa uma área de 20 ha ou 25 campos de futebol. Existe ainda um déficit, ou seja uma falta no sistema de abastecimento de 2,5 mil litros/segundo, deixando muitas pessoas no chamado rodízio de água.
Fonte: Mauricio Pereira dos Santos

sexta-feira, 12 de março de 2010

FRASES QUE NOS DEVEM FAZER REFLETIR SOBRE A NATUREZA

O desequilíbrio na natureza é resultado da ação do homem

Quem agride a natureza, agride sua própria casa

Ninguém pode alterar a Natureza, mas todos podem melhorá-la

Quem não ama a natureza, não ama a si mesmo

A natureza faz parte da sua vida – preserve-a

A sua qualidade de vida depende do seu respeito pela natureza

Pela sua saúde…respeite o meio ambiente

A água é o sangue da terra

Vive em harmonia com as leis da natureza e nunca serás pobre.

Para dar ordens à natureza é preciso saber obedecer-lhe

Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma

É triste pensar que a natureza fala e que o género humano não a ouve

Não acuse a natureza, ela faz a parte que lhe cabia. Agora, faça a sua

A ÁGUA MINERAL BOA...É ALCALINA?


Nenhuma doença subsiste a uma corrente sangüínea alcalina. Essa afirmação é um fato incontestável. Está mais do que provado pela ciência.

Inúmeras pesquisas já se aprofundaram nesse assunto, muito relevante para a manutenção e reconquista da saúde. A questão é como mantermos essa corrente sangüínea alcalina. Há fatores ou variáveis muito poderosos que induzem o insucesso de se manter os nossos sistemas orgânicos alcalinos ou conseguir o triunfo total numa terapia alcalina.

Vivemos numa economia de mercado. Há diversos interesses de grupos que investem em contrapesquisas para a sua sobrevivência. A razão econômica nesse modelo ou paradigma no qual estamos inseridos sempre sobreporá a razão científica da saúde de uma forma extremamente insana.

Exemplo são as pesquisas que tentam afirmar que leite de vaca é bom para os ossos porque tem cálcio, induzindo milhares de pessoas a problemas sérios de saúde ao longo do tempo. Nada mais verdadeiro afirmar que a acidez torna os ossos quebradiços. O leite, além de outros aspectos negativos, é extremamente ácido.

Vejamos o caso da água. A água é um elemento fundamental da vida. Podemos viver sem comer durante 15 dias, mas não podemos viver sem água.

Água é bom. Mas nem toda água é boa. Água boa é alcalina e com poucos resíduos de sódio.

Pesquisamos em um supermercado diversas marcas de água. Ficamos surpresos com a acidez de algumas e com o nível de sódio de quase todas. Água alcalina é a água que ajudará os seus sistemas fluídicos corporais a eliminar toxinas. Água salgada eleva a pressão sangüínea.

Em um dos nossos artigos falamos da importância da alcalinidade da água em nossa saúde. Hoje estaremos fazendo apenas um complemento. O pH da água influencia na desintoxicação de nosso corpo, além de harmonizar a bioeletricidade celular.

No rótulo de qualquer água mineral, observe a seguinte informação: pH a 25º C (temperatura ambiente). Se o pH for igual ou maior do que 7, essa água é alcalina. O pH entre 6 e 7 pode ser considerado semi-ácido. Abaixo de 6, a água é ácida. Mas não é só isso! Precisamos identificar se a água é ou não salgada.Como sabemos?! Veja no rótulo a informação Resíduo de Evaporação a 180ºC calculado. Quanto mais próximo ou menor que 100 mg/L é melhor para o consumo.

Pesquisamos diversos tipos de água mineral no Rio de Janeiro. A água mais assassina por incrível que pareça é a da marca Prata. Desde a infância que ouvíamos falar que a água Prata era a melhor. Poderia até ser naquele tempo. A água Prata é alcalina, mas tem níveis de sódio elevados. Quantos hipertensos vem fazendo uso dela sem saber? Toda água bicarbonatada tem níveis de sódio elevados. A Prata é um exemplo que tem pH a 25º igual a 7,01 (no limite mínimo da alcalinidade). Quanto ao Resíduo de Evaporação a 180ºC calculado, seu rótulo indica 270,28 mg/L. Muito sal!...

Outra água assassina é a da marca São Lourenço. É a pior em tudo! Seu pH a 25º é de 5,20 (extremamente ácida). Quanto ao Resíduo de Evaporação a 180ºC calculado, seu rótulo indica 213,64 mg/L. As pessoas costumam pagar mais caro pela água de pior qualidade!...

A melhor água pesquisada é a da marca Minalba. Seu pH a 25º é de 8,04 (bem alcalino). Quanto ao Resíduo de Evaporação a 180ºC calculado, seu rótulo indica 101,64 mg/L.

Não gostamos de falar em marcas porque não é nosso objetivo direcionar para marca A ou B, dando uma má impressão ao leitor.(...) Quanto mais conscientes estivermos com aquilo que colocamos na boca melhor para o nosso corpo, mente e espírito.

A água é fundamental para manter essa tríade em harmonia. Para proporcionarmos saúde a um doente, antes de mais nada precisamos proporcionar alcalinidade dos seus fluídos corporais.

O sangue percorre nosso corpo pelos 150 mil quilômetros de capilares. Os capilares têm um papel básico em nosso organismo.

Pessoas com câncer devem manter os níveis de alcalinidade corporal controlados. A metástase (reprodução desordenada de células) ocorre em ambiente ácido.

O ser humano e animais precisam do meio alcalino para sua sobrevivência. Só as plantas que precisam do meio ácido.

Aprendemos muito com o dr. Flávio, um médico brasileiro que transcendeu no campo da nutrição, como tantos outros médicos brasileiros aparentemente anônimos.

Aprendemos também com o dr. Orlando Aguiar, notável terapeuta no campo nutricional.

Reservamos especialmente a ele nossas homenagens ao seu profundo conhecimento, que tanto reforça o nosso conhecimento para ajudar cada vez mais pessoas.

O dr. Orlando e sua esposa são exemplos dignificantes de humanidade.
Fonte:
Autoria: Luis Fernando Theodoro de Jesus
Luiz Fernando Theodoro de Jesus é aloeterapeuta e pesquisador independente de assuntos relacionados à nutrição celular e psicologia.
http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=07166

domingo, 21 de fevereiro de 2010

INTERNET - PARA PREVENIR CHUVAS E TEMPESTADES


O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC Inpe) já está disponibilizando na Internet as informações metereológicas das 5.565 cidades Brasileiras, com até dois dias de antecedência.

Os moradores vão poder prevenir-se em dias de chuvas fortes ou muito sol.

Digitando o nome da cidade é possivel encontrar a previsão do tempo detalhada, estendida ou avisos importantes.

ESTEJA ATENTO NÃO SE DEIXE SURPREENDER

ALAGOAS - LIXO NAS PRAIAS DÁ CADEIA


Em virtude da quantidade de lixo (restos de alimentos e óleo de cozinha) descartado por bares e restaurantes nas piscinas naturais de Alagoas, as autoridades decidiram implantar medidas radicais.

Quem desobedecer pode ser preso por crime ambiental e pagar a multa que varia de R$700 a R$100 mil.

De acordo com o Secretário de Turismo da Capital, Maceió, a comercialização dos produtos deverá ser feita de forma adequada e com mais fiscalização.

A piscina natural na Capital de Alagoas fica a dois quilómetros da orla.

RESPEITAR O MEIO AMBIENTE É UM DEVER DE CADA PESSOA

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

NUMEROS QUE ASSUSTAM


Há um problema sério da poluição das águas ligado à saúde pública.

5 milhões é o número de mortes por ano relacionadas a doenças de veiculação hídrica, como cólera e disenterias, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS)

29 pessoas morrem no Brasil diariamente por doenças decorrentes da baixa qualidade da água e do não tratamento de esgoto.

Estima-se que cerca de 70% dos leitos hospitalares estão ocupados por doentes que contraíram males transmitidos por água contaminada.

FONTE : EcoDebate, 28/01/2010

domingo, 10 de janeiro de 2010

CRIME CONTRA A NATUREZA - A FAUNA FICA MAIS POBRE








Nas praias da Costa Rica, onde é habitual as tartarugas fazerem os seu ninhos para desovar, gente sem escrupulos e sem respeito pela espécie animal, captura todos os ovos para vender.

É constrangedor ver algumas tartarugas indefesas a tentar defender os seus ovos, mas os predadores humanos alheios ao seu sofrimento, rapinam todos os ovos que encontram.

Uma imagem vale mil palavras, pelo que as imagens acima são mais reveladoras que tudo o que estamos escrevendo.

Daqui faço um apelo ao Estado da Costa Rica e a todas as suas autoridades, que travem estes atos criminosos e castiguem severamente os responsáveis.

FRASES IMPORTANTES SOBRE A ÁGUA


"A água é o veículo da natureza." (Leonardo da Vinci)

"A água é o princípio de todas as coisas." (Tales de Mileto)

"A água é a única bebida para um homem sábio." (Henry David Thoreau)

"A água é tal qual a terra por onde ela atravessa." (Teofrasto)

"Água, tomada com moderação, não pode fazer mal a ninguém." (Mark Twain)

"A água não ocupa mais espaço do que realmente necessita. Por isso equivale à moderação." (Immanuel Kant)

"A água lava todos os males dos mortais." (Erasmo de Rotterdam)

"A água anônima sabe todos os segredos. A mesma lembrança sai de todas as fontes." (Gaston Bachelard)

"Enquanto o poço não seca, não sabemos dar valor à água." (Thomas Fuller)

"A água do mar é ruim para os homens e saudável para os peixes." (Heráclito)

"A água que brota provoca uma grande sede." (Ovídio)

"Se se tem de beber alguma coisa, que seja a água." (Celso)

"A água é a coisa mais barata que existe." (Horácio)

"Se não se movimentam, as águas se corrompem." (Ovídio)

"As águas gastam as pedras." (Jó)

A NOSSA VIDA DEPENDE ESSENCIALMENTE DE ÁGUA E OXIGÉNIO...VAMOS DEFENDER E PRESERVAR ESTES DOIS RECURSOS

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

2010 PODERÁ SER ANO AINDA MAIS QUENTE


2010 poderá ser ano ainda mais quente, prevê instituto do Monde
O ano de 2010 poderá bater todos os recordes de temperatura, apesar de o Sol estar em um período de baixa atividade.

Apesar da ladainha de que o aquecimento global "parou" em 1998, 2009 terá sido um dos cinco anos mais quentes já registrados desde que as medições por termômetros começaram, em 1850.

Na década 2000-2009, a temperatura média do planeta foi 0,4 ºC maior que a registrada entre 1961 e 1990, segundo o Met Office (serviço de meteorologia britânico). O Met Office prevê que 2010 tem chance de encabeçar a lista.

O balanço de temperaturas deste ano é mais notável quando se considera que desde 2008 o Sol se encontra mergulhado num "mínimo profundo" de atividade, do qual só começou a sair em meados deste ano. Segundo a Nasa (agência espacial dos EUA), tamanha calmaria na atividade solar não era observada desde 1913.

Os especialistas estimam que o retorno à atividade máxima só ocorra em 2013. Enquanto isso, a contribuição solar para as variações climáticas é equivalente a apenas um décimo da contribuição dos gases de efeito estufa antropogênicos --ou seja, o clima da Terra não deve esperar o retorno da atividade solar para bater recordes.

"Enquanto a temperatura média global foi de 14 ºC entre 1961 e 1990", explica o Met Office, a de 2010 deve ficar ao redor de 14,58 ºC. James Hansen, diretor do Instituto Goddard de Ciência

Espacial, da Nasa, estima uma chance maior que 50% de que isso ocorra mesmo.
Fonte: www.folha.com.br

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

RESERVAS HIDRICAS DO BRASIL

O Brasil possui uma das maiores reservas hídricas do Mundo, concentrando cerca de 12% da água doce superficial disponível no planeta, mas o contraste na distribuição da água é enorme:
- A região Norte, com 7% da população, possui 68% da água do País, enquanto o Nordeste, com 29% da população, possui 3%, e o Sudeste, com 43% da população, conta com 6%.

Além disso, problemas como desmatamento das nascentes e a poluição dos rios agravam a situação. Em consequência, 45% da população não têm acesso aos serviços de água tratada e 96 milhões de pessoas vivem sem esgoto sanitário.

A agricultura é o setor que mais consome água no País, cerca de 59%. O uso doméstico e o setor comercial consomem 22% e o setor industrial fica por último com 19% de consumo.

Projecções feitas por cientistas calculam que em 2025, cerca de 2,43 milhões de pessoas no Mundo estarão sem acesso á água potável.

O desperdício é outro grande problema. Na verdade é uma das causas da escassez. No Brasil, 40% da água tratada fornecida aos usuários são desperdiçados.

Cada pessoa necessita de 40 litros de água por dia, mas a média brasileira de consumo é de 200 litros.
Fonte: Livro A água é o sangue da Terra - Gustavo Siqueira - Gigantes da Ecologia

domingo, 3 de janeiro de 2010

VIRTUDES TERAPEUTICAS DA ÁGUA

Pela sua saúde beba água com estômago vazio.

Existem muitos estudos cientificos que comprovam os beneficios para a saúde de uma correta ingestão de água potável.

A água pode até curar diversas doenças antigas e modernas, existem diversos tipos de tratamentos bem sucedidos.

Da sociedade médica japonesa, recolhemos o tratamento seguinte:
Doenças: Dores de cabeça, dores no corpo, problemas cardíacos, artrite, taquicardia, epilepsia, excesso de gordura, bronquite, asma, tuberculose, meningite, problemas do aparelho urinário e doenças renais, vómitos, gastrite, diarréia, diabetes, hemorróidas, todas as doenças oculares, obstipação, útero, câncer e distúrbios menstruais, doenças de ouvido, nariz e garganta.

Método de tratamento:
1. De manhã e antes de escovar os dentes, beber 4 x 160ml: 4 copos de água.
2. Escovar os dentes, mas não comer ou beber nada durante 45 minutos.
3. Após 45 minutos, você pode comer e beber normalmente.
4. 15 minutos depois do lanche, almoço e jantar não se deve comer ou beber nada durante 2 horas.
5. Pessoas idosas ou doentes que não podem beber 4 copos de água, no início podem começar por tomar um copo de água e aumentar gradualmente a quantidade para 4 copos por dia.
6. O método de tratamento cura os doentes e permite aos outros desfrutar de uma vida mais saudável.

A lista que se segue apresenta o número de dias de tratamento adequados para as principais doenças:
1. Pressão Alta - 30 dias
2. Gastrite - 10 dias
3. Diabetes - 30 dias
4. Obstipação - 10 dias
5. Câncer - 180 dias
6. Tuberculose - 90 dias
7. Os doentes com artrite devem continuar o tratamento por apenas 3 dias na primeira semana e, desde a segunda semana, diáriamente.

Este método de tratamento não tem efeitos secundários. No entanto, no início do tratamento é natural urinar frequentemente.

Em muitos casos a cura é de 100%.

É melhor continuarmos o tratamento mesmo depois da cura, porque este procedimento funciona como uma rotina nas nossas vidas.

Beber água á temperatura ambiente é saudável e dá energia. Evite beber água gelada, especialmente com ou após as refeições.

Isto faz sentido: o chinês e o japonês bebem líquido quente com as refeições, e não água fria.

Talvez tenha chegado o momento de mudar seus hábitos de água fria para água ou chá quente , enquanto come.

Efeitos da ingestão de água refrigerada depois de comer:
- A água fria ou bebida fria solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer.
- Isso retarda a digestão.
- Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida mais rapidamente do que o alimento sólido para o trato gastrointestinal.
- Isto danifica o intestino. Assim como outras perturbações gástricas, sendo um factor de maior risco para o aumento das celulas cancerigenas.
- É melhor tomar chá ou água quente após cada refeição.

CURE-SE COM ÁGUA...É SIMPLES...É BARATO...E NÃO EXISTEM EFEITOS SECUNDÁRIOS CONHECIDOS.